Ações da Seagri contribuem para qualidade do leite e derivados produzidos na irrigação do Jabiberi

Palestra sobre ‘Boas Práticas de Fabricação’ foi ministrada aos funcionários do laticínio que funciona no Perímetro Irrigado Jabiberi, mantido pelo Governo do Estado em Tobias Barreto, centro sul sergipano. A atividade aconteceu nesta quarta-feira, 06. Entre os meses de setembro a novembro, veterinários da Emdagro foram ao Jabiberi fazer vacinação contra Brucelose, contribuindo com a qualidade do leite produzido com a irrigação pública.

São ações possíveis a partir da cooperação entre as vinculadas Secretaria de Estado da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri), a Empresa de Desenvolvimento Agropecuário de Sergipe (Emdagro), que disponibiliza sua equipe de técnicos médicos veterinários e da Companhia de Desenvolvimento Regional de Sergipe (Coderse), que administra o perímetro Jabiberi. Neste, a maioria dos 76 lotes produtivos são voltados à criação de gado leiteiro, alimentado pelo material forrageiro irrigado.

A palestra, na quarta, foi proferida pela médica veterinária da Coordenadoria de Veterinária da Emdagro, Izildinha Dantas. Ela abordou os principais aspectos da prevenção e proteção dos produtos alimentícios à contaminantes. Proporcionando o consumo seguro dos alimentos pela população. “As ‘Boas Práticas de Fabricação’, que são os cuidados para evitar a contaminação com bactérias, vírus, fungos, por químicos ou física. Passa pela  limpeza e higienização, não só dos equipamentos e materiais de fabricação, mas do vestuário, equipamentos de proteção individual (EPIs) e higiene pessoal do funcionário”,  destacou a veterinária.

Gionária Goes trabalha na limpeza do laticínio. Ela diz que já tem alguma experiência em boas práticas, trabalhou muitos anos em cozinha industrial  e até chama a atenção dos colegas para a importância de evitar a contaminação do ambiente. “Acho que aprendi mais com as dicas que ela deu. Tem coisas que as pessoas têm dúvidas ou acham que é besteira fazer. Eu achei interessante, muitas coisas novas. Às vezes até já vimos, mas pode ter esquecido e é muito importante dar continuidade a tudo que a gente viu”.

Gerente do  perímetro Jabiberi, José Reis Coelho, explica que será uma série de palestras, com as ‘boas práticas’ no laticínio e depois as ‘boas práticas’ na ordenha do leite. “E o que que a gente ganha, é um leite de qualidade, que vai melhorar o preço do produto para o produtor. Melhora a qualidade do queijo, com leite de qualidade.  Com essa palestra de boas práticas, vai melhorar também a qualidade do leite dentro do laticínio e o consumidor final vai ganhar um produto também de mais qualidade”, pontuou.

“Envolve todos os procedimentos que são utilizados, desde a entrada do leite no laticínio, passando pela parte de embalagem, até o envio para o consumidor. Os, EPIs são o fardamento completo, com touca. A máscara e luvas são utilizadas na etapa de embalagem do produto”, reforçou a veterinária Izildinha Dantas.

Vacinação Contra brucelose

A brucelose é uma doença contagiosa que pode afetar, tanto o leite, quanto a saúde humana. Por este motivo, a gerência do Jabiberi teve a iniciativa de orientar os pequenos produtores atendidos para a importância da vacinação. Inclusive, fazendo a mobilização para  que, em grupo, eles consigam adquirir as vacinas por um preço menor. Ao mesmo tempo em que buscou na Emdagro, o médico veterinário para vacinar.

“Estamos em cerca de 1.200 cabeças de gado vacinadas e todas produzem leite no Jabiberi, para o laticínio no próprio perímetro. O resultado disso são gados mais saudáveis, que produzem um leite saudável, que produz um queijo também saudável. Tudo isso para consumo humano, para que não haja perigo de contaminação do gado pela Brucelose. Com o gado vacinado estão livres dessa probabilidade de ter essa doença”, complementou José Coelho.

Também veterinário da Emdagro, Nei Pires Ferreira Junior esteve em mais de uma ocasião fazendo a vacinação dos rebanhos contra a Brucelose. “Estamos utilizando a cepa RB51, que é utilizada em fêmeas de três meses ao animal adulto. A vida útil dela coloca-se ao redor de 6 anos. Então, praticamente toda a vida útil do animal é trabalhada na utilização dessa cepa e o custo benefício dela fica superior à anteriormente praticada”, argumentou.

Acrisio de Jesus Nascimento,  produtor irrigante do Jabiberi, considera a Coderse como parceira. Fornecendo água de beber e irrigação, trabalhando a saúde dos animais e até aconselhando métodos alternativos da nutrição do rebanho.  “A gente aprendeu mais tecnologia, inserimos o sorgo e foi tão bom que agora estamos procurando outro local pra comprar, porque aqui não estamos achando mais. A Coderse está nessa parceria conosco, e juntos a gente chega lá, né?”, relatou o micro-pecuarista que tem um rebanho de 40 animais, retirando uma média de 330 litros de leite por dia.

Nei Pires Ferreira Júnior também alerta da importância da vacina ser aplicada por um veterinário. “Essa vacina é uma vacina viva, então ela tem um potencial contaminante alto. Pela legislação a utilização dela ,a nível de campo, deve ser usada por médico veterinário treinado para que justamente essa possível contaminação não venha a alargar o quadro de Brucelose Humana, pelo efeito da utilização dela no rebanho, ou seja, por contaminação no trabalho com a dita vacina”, concluiu.

Assessoria de imprensa

WhatsApp Image 2024-07-11 at 10.09
Banda Nata do Samba vai se apresentar em Aracaju nesta sexta-feira (12)
IMG_20240702_004334_115
Abrahão Crispim será homenageado na festa dos 90 anos do SEEB/SE
andersonramos_presidenteaci
Presidente da ACI/SE denuncia problemas na emissão do ITBI na Barra dos Coqueiros
Rolar para cima
Rolar para cima