Conheça mitos e verdades sobre o mosquito Aedes aegypti e a dengue

Foto: Marcelle Cristinne

O mosquito Aedes aegypti é conhecido por ser o vetor de doenças como a dengue, zika e chikungunya, e com o aumento de casos no país, a Prefeitura de Aracaju vem realizando uma série de ações para prevenir a proliferação do inseto e a contaminação da população. Recentemente, a gestão municipal realizou o Processo Seletivo Simplificado para Agentes Temporários de Endemias, visando ampliar ainda mais o plano de ações de combate ao inseto.

Uma das principais frentes de trabalho dos agentes de endemias é a visitação em residências e estabelecimentos comerciais da capital, para conscientizar e orientar a população sobre o que fazer para evitar a proliferação do mosquito. Além do trabalho diário das equipes, a gestão implementou, a partir da Campanha Aracaju contra a Dengue, mutirões de visitação, que são realizados pela Secretaria Municipal da Saúde, em parceria com a Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb), cujos agentes também realizam a limpeza de terrenos baldios e outros locais onde necessitam de limpeza.

Durante as visitas, além de buscar possíveis focos de dengue, os agentes conversam com os moradores para explicar o que deve ser feito para combater o mosquito, e também esclarecer dúvidas. Diante de um período como esse, muitos questionamentos surgem em relação à dengue e ao Aedes aegypti, e é fundamental esclarecer mitos e verdades para que os cidadãos saibam os modos mais eficazes de prevenção da doença e sejam também agentes ativos no combate ao mosquito.

Confira abaixo quais são os mitos e verdades acerca do inseto

1. Não deixar água parada é a única forma de prevenção da dengue

Mito. Essa é apenas uma das formas de evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti. Além de não deixar água parada em recipientes e reservatórios é necessário também que o local seja higienizado para que os ovos colocados pelo mosquito não fiquem em estado de latência e acumulado nos cantos, podendo eclodir quando o local receber água novamente.

2. Somente a fêmea do Aedes aegypti é capaz de transmitir o vírus da dengue

Verdade. O macho se alimenta de néctar e seiva das plantas, enquanto a fêmea necessita do consumo de sangue para sobreviver e amadurecer seus ovos. Desse modo, é a fêmea que transmite o vírus da dengue. 3. Colocar água sanitária na água ajuda a eliminar as larvas do mosquito

Mito. Esse método não ajuda a eliminar as larvas porque a água sanitária evapora rapidamente.

4. Repelentes ajudam a evitar a picada do mosquito Aedes aegypti

Verdade. Os repelentes são uma ótima opção para afastar a picada do mosquito. Crianças e gestantes também podem fazer o uso desse método, desde que tenham orientação médica.

 5. A dengue grave com hemorragias só ocorre nas pessoas que têm a dengue pela segunda vez

Mito. Isso depende da virulência, de quanto o vírus que infecta a pessoa tem a capacidade de provocar uma reação mais forte. Ou seja, a dengue grave com hemorragias já pode acontecer na primeira vez que o paciente tem a doença.

6. Nenhum medicamento cura a dengue

Verdade. Após o diagnóstico da doença, a pessoa pode sentir dores musculares que são tratadas com analgésicos, recomendados pelo médico, além de precisar de repouso e muita hidratação. Não é recomendado o uso de anti-inflamatórios como ibuprofeno, diclofenaco e nimesulida em caso de contaminação ou suspeita de dengue pois geram risco de hemorragias em caso de contaminação ou suspeita de dengue e piora no quadro da doença.

7. Não existe vacina para a dengue

Mito. Existe vacina contra a dengue e, desde a última quinta-feira, 2, está disponível em oito Unidades de Saúde da Família (USF) para crianças com idades entre 10 e 14 anos. Neste primeiro momento, a SMS recebeu do Ministério da Saúde (MS) 9.833 doses de vacina.

8. O mosquito é listrado e não faz zumbido

Verdade. O Aedes aegypti é menor que outros mosquitos, ele é preto com listras brancas no tronco, pernas e cabeça, além de não fazer zumbido e picar durante o dia.

9. Durante o inverno é possível reduzir os cuidados com a dengue

Mito. Mesmo que a dengue tenha um pico mais alto no período do verão, durante o frio, a doença também pode proliferar. No inverno, a larva entra em estado de hibernação e quando há chuva ou aumento na temperatura, essas larvas eclodem e desse modo há contaminação. Por isso, o combate ao Aedes aegypti deve ser realizado durante todo o ano.  

10. O combate ao mosquito Aedes aegypti é a melhor forma de prevenção da dengue

Verdade. Não acumular lixo, não deixar água parada e lavar os recipientes que podem virar possíveis criadouros são a melhor forma de combate ao Aedes aegypti e proteger a população dessa doença. Por isso é importante e fundamental a participação de todos nessa luta.

CMA _
Nota de Esclarecimento - CMA
WhatsApp Image 2024-05-19 at 11.20
Projeto de Cícero do Santa Maria homenageia São Tomás More
Dra
Dermatologista explica causas de urticária em crianças
Rolar para cima
Rolar para cima