Dermatologista explica causas de urticária em crianças

Pequenas placas avermelhadas e inchadas, espalhadas pelo corpo, que coçam intensamente. Esses são alguns dos sintomas que podem indicar a ocorrência de urticária, enfermidade que afeta entre 15% e 20% da população, incluindo crianças, de acordo com dados do Ministério da Saúde. A doença, que tem como principal sintoma a coceira intensa, está entre as queixas mais frequentes nos consultórios de dermatologia.

Antes de esclarecer sobre os efeitos e tratamentos da doença em crianças, a médica dermatologista, Dra. Thâmara Morita, traz um dado alarmante. Segundo ela, em mais de 40% dos casos, as causas mais frequentes de urticária aguda em crianças são causadas por infecções virais leves, pelas vias respiratórias. Ainda segundo a dermatologista, em alguns pacientes, a combinação de infecções virais e a ingestão de medicamentos desencadeiam a urticária.

As causas de urticária em crianças podem também estar ligadas à ingestão de determinados alimentos. Segundo a médica, em crianças pequenas, os alimentos mais frequentes, responsáveis por episódios de urticária aguda, são o leite de vaca, ovo, amendoim, soja e trigo. Já em crianças mais velhas e em adultos, os alimentos alérgicos mais comuns são peixes, frutos do mar, nozes e frutas.

“Os sintomas de urticária aguda induzida por alimentos ocorrem de alguns minutos a 2h, após a ingestão. Para que um alimento seja retirado da dieta, é fundamental que se estabeleça o correto diagnóstico da relação entre a ingestão do alimento e o surgimento dos sintomas. Caso existem a suspeita de alergia alimentar, a orientação é consultar com um médico especialista. Muitas vezes, não é possível identificar se existe ou não um desencadeante específico para os sintomas de urticária aguda, e parte destes casos evolui para a forma crônica espontânea”, esclarece. 

Outros alimentos

De acordo com a Dra. Thâmara Morita, estima-se que cerca de 1,3% das urticárias agudas são provocadas por alimentos. Esses alimentos “desencadeadores” incluem álcool, corantes, adoçantes, conservantes, frutos do mar, certos vegetais como, espinafre, berinjela e frutas como, o tomate  e o abacate.

A lista de alimentos causadores dos sintomas da urticária também inclui  alimentos fermentados, embutidos e outros. Para identificá-los, são necessários exames laboratoriais, testes cutâneos e, eventualmente, testes de provocação para o diagnóstico de urticária por alimento, segundo Thâmara. “A relação entre a urticária e o alimento selecionado fica evidenciada quando ocorre a remissão total dos sintomas após a eliminação do mesmo e a recorrência dos sintomas após nova exposição”, acrescenta a dermatologista.

Medicamentos e urticária

A dermatologista chama a atenção também para o uso de medicações que podem resultar nos sintomas da urticária. São eles: antibióticos, anti-inflamatórios, antifúngicos, anti-hipertensivos, opióides ou até mesmo uma vacina. “Todas essas substâncias podem causar as lesões”, relata, a dermatologista, ao alertar que o uso tópico de cremes e pomadas, como, cremes anestésicos, substâncias desinfetantes, neomicina e bacitracina, vendidas normalmente sem receita médica, podem causar urticária de contato e anafilaxia, respectivamente.

 Relação entre a água e a urticária

A urticária também pode ser caracterizada pela reação alérgica quando em contato com a água, independentemente da temperatura. Entre os sintomas estão: vermelhidão na pele, inchaço e coceira intensa. “A urticária aquagênica é rara e pode ocorrer após contato com qualquer fonte de água salinizada, quente ou fria, desde a água da torneira até a água do mar. O sintoma mais comum da urticária por contato com a água é a coceira, mas pode haver também ardência e queimação. As lesões na pele aparecem entre  20 a 30 minutos após a exposição e desaparecem em até 1h. Os sintomas são mais comuns em mulheres, com início, em média, aos 19 anos”, explica, a médica.

Tratamento 

Para garantir um tratamento da urticária eficaz e que proporcione uma recuperação rápida, tanto em crianças quanto em adultos, a médica indica uma consulta periódica ao dermatologista. “Para cada caso, existe um procedimento para o tratamento da doença, pois existem medicamentos que podem potencializar os sintomas. No geral, 9% a 27% dos casos de urticária aguda estão relacionados a medicamentos, sendo a principal causa em adultos. Os medicamentos podem causar urticária por diversos mecanismos, alérgicos ou não”, explica, Thâmara.

Para diagnosticar e tratar a urticária, Thâmara Morita ressalta a importância de procurar um especialista, principalmente um profissional da dermatologia, com experiência no tratamento da doença. “Sergipe possui uma gama de especialistas e, no campo da dermatologia, somos referência no tratamento desses casos, incluindo crianças e adultos”, finaliza.

WhatsApp Image 2024-05-19 at 11.20
Projeto de Cícero do Santa Maria homenageia São Tomás More
8500cb74-7162-48b1-8d7a-53c81df678ed
"Educar o filho de um pobre é o ato mais revolucionário que pode ser realizado" diz Bittencourt diante do investimento da prefeitura em novas escolas 
ricardo vasconcelos
Presidente da CMA cobra melhorias do transporte público da Zona de Expansão
Rolar para cima
Rolar para cima